Saúde mental como prioridade

Publicado 27/08/2021
Saúde mental como prioridade

Dia 27/08 se comemora o Dia do Psicólogo, um profissional fundamental para a manutenção do nosso cuidado e bem-estar. Convidamos duas colaboradoras da Tea Shop para falar um pouco mais sobre saúde mental e trazer suas reflexões a cerca do momento que estamos vivendo. 

 

Confira o texto da Clarissa Pesenti, Psicóloga, e nossa Gerente de Recursos Humanos e Desenvolvimento Organizacional: 

 

------------

 

Ao receber o convite para escrever no blog no dia do psicólogo, fiquei pensando quais das tantas áreas da Psicologia eu poderia abordar que estivesse ligada à área de Recursos Humanos que escolhi atuar, há 20 anos. Logo em seguida, em reunião com uma gestora ela me disse “aqui na Tea Shop se valoriza muito as pessoas” e, a partir dessa fala, decidi que abordaria a saúde mental, um tema tão comum há anos, mas que veio à tona em 2020 com a pandemia e tem sido uma preocupação crescente, podendo afetar qualquer um a qualquer momento.

 

Segundo uma pesquisa do Instituto Ipsos (terceira maior empresa de pesquisa e de inteligência de mercado do mundo), 53% das pessoas entrevistadas no Brasil dizem que sua saúde mental piorou desde o início da pandemia da Covid-19.

 

Como psicóloga e profissional de RH, a preocupação com a saúde dos colaboradores intensificou, pois ter saúde mental nos possibilita lidar com desafios e mudanças que surgirão ao longo da vida, além de nos ajudar a manter a harmonia em todos os âmbitos da nossa vida, seja profissional ou pessoal.

 

O caminho para atacar o problema é falar sobre ele, encorajar as pessoas a procurar ajuda, suporte e principalmente um profissional da saúde antes que aumente qualquer tipo de sintomas. O assunto tem ganhado a atenção dos profissionais de saúde, empresas, escolas e diversas instituições.

 

E as empresas, através de seus líderes, têm papel importante em criar um espaço seguro para essas conversas, seja falando sobre isso em reuniões ou com cada membro da equipe e compartilhando suas próprias histórias para promover compreensão e um verdadeiro suporte.

 

É preciso dar atenção ao que seu corpo e mente comunicam, pois eles nos dão evidências de que precisamos nos cuidar. Negligenciar esses “sinais de alerta” pode desencadear sintomas expressivos que vão, sem dúvida, afetar a rotina e responsabilidades do dia-a-dia.

 

Clarissa Pesenti